De Coari para o mundo: conheça o amazonense que conquistou a Rússia




Por Daniel Boechat (Portal Em Tempo)

Rodrigro Praia, de 26 anos, lutou e venceu pela quarta vez em um dos torneios de MMA mais importantes da Europa, na Rússia. O lutador segue levando o nome de Coari mundo afora
Coari - Famosa por seu Festival Folclórico, Coari passou também a ser conhecida, na Rússia, como a terra natal de Rodrigo Praia. O coariense de 26 anos vem dominando um dos principais torneios de luta da Europa: o Absolute Championship Akhmat (ACA). Atualmente, o amazonense possui uma série de quatro vitórias em quatro lutas – com mais dois combates a serem realizados.

O campeonato russo, fundado em 2014, mistura MMA (Mix Martial Arts – Tradução: Artes Marciais Mistas), kickboxing e jiu-jitsu brasileiro. Recentemente, teve sua 103ª edição, com Rodrigo Praia abrindo o card preliminar na luta contra Firdavs Khasanov, do Uzbequistão.

De Coari para o mundo

De família simples, Rodrigo teve seus primeiros contatos com a luta aos nove anos, quando foi apresentado ao judô. Na modalidade, o atleta representou Coari em eventos estaduais e permaneceu por quase uma década, quando, aos 17 anos, teve seu primeiro contato com o MMA.

“Desde cedo aprendi com a educação que recebi dos meus pais a nunca perder a fé e a esperança, além de correr atrás dos meus sonhos, não importa o quão difícil eles sejam. É difícil estar longe de casa, longe da família, mas temos que erguer a cabeça e acreditar”, conta ele.



Rodrigo lembra que começou no esporte sem muito conhecimento sobre golpes e técnicas. O coariense apostou tudo no MMA quando percebeu a afinidade que tinha em se desenvolver. Em dezembro de 2011, já estava competindo, até chegar em eventos com notabilidade nacional, como o Circuito Team Nogueira e o Jungle Fight.

Inspirado em Davi Ramos, atleta do Ultimate Fighting Champioship (UFC), Rodrigo conta que os títulos foram sendo conquistados naturalmente até se tornar dono do cinturão da categoria peso Galo (até 61 kg), no evento It's Time Combat 4, ocorrido em 2014, na capital amazonense.

Hoje, o amazonense é faixa preta de jiu-jítsu, além de treinar boxe, muay thai e wrestling “busco ser um atleta completo”, diz ele. Rodrigo acumula 18 lutas na carreira, sendo 15 vitórias (10 por nocaute) e 3 derrotas. O lutador atualmente vive para os treinos, que são intensos, e busca se manter dentro dos maiores eventos de MMA.

Apoio à cena local

Falando sobre sua cidade natal, o coariense diz ter muito orgulho de representar o município mundo afora e tenta ser um exemplo para que os atletas mais jovens nunca desistam dos seus sonhos. Segundo Rodrigo, o interior do Amazonas possui muitos talentos, mas não há investimentos para que possam alcançar visibilidade. Além disso, diz que o Brasil errou em não o apadrinhar, como fez o ACA, na Rússia.

“Sou do interior do estado, onde o esporte é muito forte, mas não tem visibilidade para quem quer crescer. Nunca tive incentivo do Amazonas nem do Brasil. Por isso, tive que abrir mão de muita coisa para ir em busca do meu objetivo, em outro estado e depois em outro país”, afirma o lutador.

Daqui pra frente, os planos envolvem tornar-se campeão do Absolute Championship Akhmat (ACA) – nas duas lutas restantes – e investir em projetos sociais relacionados à luta e voltados para as crianças.

“Minha mãe e meu pai são duas pessoas guerreiras, que nunca me deixaram faltar nada e que sempre me apoiaram. Hoje sou o que sou graças a eles. Por isso, tenho o sonho de ajudar jovens e crianças com o esporte. É uma vontade que há muito tempo carrego no meu coração. Em 2020, pretendo me preparar bastante para me tornar campeão do ACA e, se Deus me permitir, vou conquistar voos maiores”, enfatiza o lutador.

Postar um comentário

0 Comentários