Que em 2020 sejamos como um Girassol


A costureira me olhava com um brilho especial. Sim, o vestido ficou pronto e era lindo, com rendas e cheios de detalhes em bordados, sapatos brancos e dois belos laços de fita na cabeça arrumados com todo carinho pela minha amada mãe, que na época não media esforços, para que as filhas dela andassem iguais bonecas, pelas ruas de Coari.

Era o casamento de uma amiga da mamãe, e eu, sem entender absolutamente nada, aos oito anos, fui escolhida para ser a dama de honra, uma personagem que de acordo com minhas pesquisas vem do tempo dos romanos. Elas, as damas de honra precisavam acompanhar a noiva até o altar  e vestir semelhante a ela, com a missão de entreter os maus espíritos que queriam impedir o casamento, a outra versão é que as crianças são anjos e significam pureza, amor e bondade.



O casamento aconteceu, eu errei por não entrar segurando a cauda da noiva e voltei pra pegar as alianças depois. Dois anos se passaram e mamãe guardou o vestido, até que um dia a vi doando o vestido e chorei como se não houvesse o amanhã.

Aquela cena marcou minha infância e até hoje lembro como se passasse um filme, mas não pelo bem material, mas é que ali naquele momento, eu começava a entender o sentido da palavra “sentimento”, ter amor por algo ou alguém que me remete uma lembrança boa, que vai além de um pedaço de tecido.

Hoje, com pouco mais de 30 anos, virando mais um ano, aquela menina que chorava por um vestido, que lhe lembrava um momento bom, segue com o mesmo pensamento, que aprendeu naquela simples lição. Sem apego a bens materiais, vivo como um girassol, de frente para luz, de costas para as trevas, sempre em busca do sorriso de uma criança ou de uma abraço de um idoso, que transforma totalmente meu dia e me faz ter a certeza de que daqui deste plano, só levamos o que nossa alma carrega de bom, a paz, o amor e a empatia sempre com o próximo. Sejamos girassois na vida da pessoas.

Feliz 2020 a todos!

Islânia Lima

Postar um comentário

0 Comentários